Conexão de dados é fundamental na gestão do agronegócio

O Instituto Desenvolve Pecuária promoveu nesta terça-feira, 19 de outubro, a quinta edição do Painel “Prosa de Pecuária”, que é realizado mensalmente. A médica veterinária e CEO da Avelã Public Affairs, consultoria de relações institucionais e assuntos públicos especializada no agronegócio, Andréa Veríssimo, abordou o tema “Decisões no Agronegócio Baseada em Dados”.  A palestra virtual ocorreu no canal da entidade no YouTube e teve como mediadora a associada Fernanda Brum.

Ao abrir o painel, Fernanda destacou que o uso de dados tem se tornado cada vez mais necessário, pois as decisões que trazem bons resultados são as baseadas em dados reais e análises bem feitas. “Hoje não se pode mais tomar decisões baseadas em intuições ou tradições de família, o produtor precisa ter conhecimento das informações disponíveis e das condições de mercado para desenvolver a sua atividade com maior sucesso e menor risco. E os dados estão aí para auxiliar”, observou.

A painelista Andréa iniciou a sua fala lembrando que quando começou a trabalhar na fazenda da família percebeu a importância da gestão. “Muito além do dia a dia do veterinário em uma propriedade de bovinos de corte, se não houver gestão o negócio não vai para frente”, colocou, dizendo que com essa crença foi em busca da sua formação e hoje se dedica a organizar dados para setores do agronegócio. “Em todos os elos que percorri ao longo da minha carreira percebi que tudo girava em torno de informação. E o meu sonho, ainda, é conseguir com que esses dados possam ser utilizados para criar narrativas que posicionem o nosso agronegócio”.

Andréa, ao fazer um questionamento sobre quanto custa ao agronegócio tomar decisões baseadas em informações incorretas ou incompletas, salientou que se o produtor decide vender na época de menor preço, acaba diminuindo a sua lucratividade. Observou que uma pesquisa do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) realizada com  fazendas de ponta, mostrou problemas com informação e conectividade. “A transmissão da informação é uma questão importante nos negócios”, pontuou, destacando que cada vez mais grandes volumes de dados (big data), são gerados com velocidade.

De acordo com a painelista, nos últimos dois anos foram gerados mais dados do que em toda a história da humanidade e a tendência é aumentar. “Posso assegurar que existem muitos dados disponíveis públicos oficiais que podem ser  buscados, a maioria de forma gratuita, e são maravilhosos para entender o tamanho de mercado, fluxo de comércio e produções”, informou, citando dois projetos realizados no Rio Grande do Sul, que são o Observatório Gaúcho da Carne e o Observatório do Leite, finalizados em 2018 e 2019, respectivamente. “São plataformas de inteligência online que reúnem o big data dos dois setores com informações padronizadas de diversas partes da cadeia para ajudar na decisão de negócio e também de políticas públicas setoriais”, destacou.

Andréa finalizou a palestra ressaltando que o conhecimento e a possibilidade de decisão somente serão alcançados com a conexão de todas as informações, citando como exemplo os 1,5 bilhão de dados existentes no lançamento do Observatório Gaúcho da Carne e que hoje já são muitos mais. “O importante é que o trabalho que fizemos foi o de conectar dados de diversas fontes”, afirmou. A especialista também defendeu a liberação dos dados para transformá-los em informação e conhecimento e com isso possibilitar o crescimento e melhor organização dos setores do agronegócio.

 Da redação com Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *