China, Brasil e Rússia nos destaques globais do agro

Dentre os destaques globais do agronegócio citados pelo world-grain.com, a China acaba reduzindo as exportações de soja do Brasil em cerca de 18% em setembro em relação ao mesmo mês do ano anterior, segundo dados da Administração Geral das Alfândegas. O país asiático comprou 5,9 milhões de toneladas de soja do Brasil em setembro, ante 7,2 milhões um ano atrás.

Os dados mostraram um declínio ainda mais dramático nas importações de soja dos Estados Unidos, à medida que os terminais de grãos no porto de Nova Orleans foram forçados a fechar depois que o furacão Ida atingiu os Estados Unidos no início de setembro. A China importou 169.439 toneladas de soja dos Estados Unidos em setembro, ante 1,17 milhão de toneladas no mesmo mês em 2020.

De longe o maior importador de soja do mundo, a China deve importar mais de 100 milhões de toneladas de soja na campanha de comercialização de 2021-22, de acordo com o Serviço de Agricultura Estrangeira do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, marcando a primeira vez que ultrapassou esse limite.

A trader russa de grãos Demetra disse em 20 de outubro que exportou recentemente 60.000 toneladas de trigo para a Argélia, informou a Reuters . É o primeiro grande carregamento de trigo da Rússia para aquele país em cinco anos.

A Argélia, que ficou em quinto lugar nas importações de trigo durante a campanha de comercialização de 2020-21, recebe cerca de 7 milhões de toneladas de trigo por ano. A Rússia ganhou acesso ao mercado quando a Argélia relaxou seus padrões de qualidade recentemente, disse o relatório, observando que o país normalmente importa trigo da França, Alemanha, Letônia, Lituânia e Argentina.

 Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *