Bolsonaro diz que no dia 7 o Brasil vai conquistar a sua liberdade de fato

Por 

INDEPENDENTES

O presidente Jair Bolsonaro está à frente da mobilização nacional que pretende reunir milhares de apoiadores em Brasília no dia 7 de Setembro. “Cada vez mais a população se conscientiza dos seus direitos e de que essa população é quem deve nos apontar para onde devemos ir”, apontou Bolsonaro em durante visita a Uberlândia. Bolsonaro foi além ao afirmar que a verdadeira independência vai acontecer de fato no dia 7. ”A vontade que vale é a vontade de todos vocês”, reforçou, sendo respondido em coro por apoiadores com o grito de “Eu autorizo”.

MOVIMENTO PACÍFICO

Embora a manifestação do dia 7 de setembro em Brasília tenha gerado muita expectativa, o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, acredita que não espera vandalismo ou violência durante os protestos marcados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. O senador disse que confia no Governo do Distrito Federal para manter a segurança da capital. “A segurança fica a cargo, naturalmente, do GDF para que haja, em Brasília, uma manifestação que eu espero que seja pacífica e ordeira, que reivindique temas e causas, mas que preserve o patrimônio, a integridade e a tranquilidade de todos”, afirmou.

DEMOCRACIA E PAZ

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, voltou a pedir apoio da sociedade para ass mudanças necessárias ao país. “Precisamos do apoio da sociedade. Quando eu falo em mudança, todo mundo levanta o braço. Agora, quem quer mudar? Todo mundo tem de ceder em algum ponto”, disse. “Quando se fala em reforma tributária, é onde a porca torce o rabo. Todo mundo tem de ceder um pouco para que se chegue a algum consenso e a uma situação melhor para todos”. A fala do general foi dirigida a 50 empresárias, todas do movimento Lide Mulher, em Brasília. Destoando um pouco do discurso do presidente Jair Bolsonaro, Mourão não teceu críticas ao STF e nem à oposição. Ele se limitou a dizer que o país precisa de democracia e paz social.

INFRAESTRUTURA

O presidente Jair Bolsonaro entrou para a história ao assinar a medida provisória que institui o novo marco legal do transporte ferroviário. A medida visa desburocratizar o procedimento de autorização para construção de novas ferrovias e facilitar a atração de investimentos privados para o setor. O governo espera assim expandir a capacidade de transporte ferroviário e reduzir custos de logística no País. . Os Estados do Mato Grosso, Minas Gerais e Pará já contam com leis que permitem um novo regime de operação de ferrovias, o de autorização, dentro de seus limites territoriais. A ideia do novo marco é liberar esse modelo a nível federal.

 MARCO TEMPORAL

O Supremo Tribunal Federal retoma nesta quarta-feira o julgamento do Marco Temporal, tese que defende que a proteção da posse permanente das terras indígenas depende da comprovação de que a ocupação tradicional ocorreu antes de 1988, ano em que foi promulgada a Constituição Federal. A discussão em torno do tema deverá chamar atenção da mídia diante das negativas do presidente Jair Bolsonaro e de lideranças do agronegócio em torno de uma possível alteração na data pós-1988. A tese do Marco Temporal foi criada em 2009, durante o julgamento de um conflito entre indígenas e produtores de arroz no território Raposa Serra do Sol, em Roraima. De lá pra cá, os debates foram quentes e não será diferente nesta quarta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *